Advento: tempo da esperança

Advento: tempo da esperança

“ Quando éramos pobres e eu menina era assim o Natal em nossa casa: quatro semanas antes a palavra ADVENTO sitiava-nos, domingo após domingo. (...) Porque o MENINO estremecia no feno e nos compadecíamos de Deus até as lágrimas. Olhando a manjedoura, o que eu sentia(...) À luz que não tolera excessos, o musgo, a areia, a palha cintilavam, a pedra.  Eu cintilava. ” (Lapinha de Jesus- Adelia Prado)

A palavra advento tem origem no Latim adventus, que significa chegada, surgimento, vinda. Na experiência de fé cristã, advento é o tempo em que vivemos a espera Daquele que vem, e preparamos nosso coração para recebê-lo com esperança e alegria.

O advento é tempo de celebração e espera jubilosa, pela luz de Cristo que veio ao mundo e se renova em nós. Neste tempo vivemos mais intensamente a virtude da esperança, que ilumina e reaviva nossa alma, ela nos fortalece na confiança e entrega a Deus, depositando Nele a nossa vida[1]. O teólogo Bruno Forte afirma: “O Advento é, por excelência, o tempo da espera e da preparação para a vinda do Filho de Deus entre nós.” [2].

Neste período devemos nos preparar para receber Aquele que vem ao nosso encontro, de tal forma que o nosso coração se transforme numa manjedoura para deixar nascer Cristo e que Sua luz resplandeça e nos transforme integralmente. Deus em sua misericórdia fez transbordar seu amor no mundo para nos salvar, a Beleza de Deus que pousou suas asas no tempo, no ventre da humanidade e se fez homem, para reacender a luz da esperança e salvação em nossa vida. Assim Ele diz em sua palavra: “Eu sou a luz do mundo. Quem me segue terá a luz da vida.” (João 8-12)[3], por isso viver o advento é também se deixar transformar por esta luz tornando-nos reflexos de Seu amor.

Advento é tempo de viver o renascimento da alegria, fé, esperança, sonhos, renovar as forças em Deus, pois ela “dá alento a todo esmorecimento” e “dilata o coração na expectativa da bem-aventurança”[4].

Deus vem ao nosso encontro e quando acolhemos sua vinda, sua Beleza, Amor e Bondade transbordam em nós “este fulgor da Beleza, é a vida nova do encontro com o Deus vivo, que não toca apenas o externo, mas privilegia o íntimo e o profundo dele se irradia”[5], por isso a pessoa humana é acolhida do Mistério de Deus, assim como Deus fez morada em Maria, Deus faz morada em nossos corações e renasce fazendo fulgurar sempre uma nova esperança ao irromper seu amor infinito em nós.

Neste tempo, que a luz de Deus que se fez menino resplandeça a nossa esperança. E que façamos de nosso coração uma afável manjedoura para acolher Jesus permitindo que sua luz possa cintilar em nossos corações, gestos e palavras.

 

 

Michele Dias, vocacionada Comunidade Recado


[1] As sete Lâmpadas da salvação- São João Paulo II

[2] http://www.vaticana.va

[3] Bíblia de Jerusalém.

[4] CIC-Catecismo da igreja Católica 1818.

[5] Bruno Forte- O caminho da beleza.