A Cruz é o lugar próprio do louvor!

A Cruz é o lugar próprio do louvor!

Olhar para cruz na perspectiva do louvor é um olhar que somente o Espírito Santo pode nos dar. Todos nós já passamos na vida por momentos de dor, tristeza, solidão. Quem já não se sentiu traído ou humilhado? A dor, o sofrimento são inerentes à condição humana, mas a partir do momento que Nosso Senhor Jesus Cristo carregou sobre si todos os pecados da humanidade na cruz, tudo tomou um novo sentido. A cruz deixou de ser sinal de fraqueza e tornou-se sinal de vitória, pois nela está o caminho da nossa salvação. Justamente por isso, a cruz é o lugar próprio do louvor, porque se não fosse pela cruz de Cristo, não teríamos hoje a salvação.

Nosso Mestre levou a cruz e nela se entregou para a salvação da humanidade: “Apareceu uma só vez, na plenitude dos tempos, para suprimir o pecado mediante o sacrifício de si mesmo” ( cf. Hb 9,26).

A esse Sacrifício de Cristo pela humanidade chamamos “sacrifício de louvor”, uma vez que, salvando os homens do domínio do pecado e da morte, Ele ainda deu glória ao Pai pela sua obediência até a morte e morte de cruz. É desse mistério de amor que nasceu a Igreja e é em torno desse mesmo mistério que Ela hoje vive e subsistirá até o triunfo do dia eterno.

Encontramos o termo “sacrifício de louvor” no Salmo 107, verso 22: “Ofereçam sacrifícios de louvor, proclamem suas obras com gritos de alegria”, e também na Carta aos Hebreus, capítulo 13, versículo 15: “Ofereçamos continuamente, por meio de Jesus, um sacrifício de louvor a Deus, isto é, o fruto de lábios que confessam o seu Nome”. Esse texto da Carta aos Hebreus, assim como toda a carta, foi escrito para o convencimento definitivo de que o Sacrifício único e soberanamente eficaz de Jesus supera os sacrifícios do antigo culto judeu e que a união dos nossos sacrifícios com esse Sacrifício perfeito de Jesus suscita um agradável louvor ao Pai e é um testemunho de fé e fidelidade ante as provações e sofrimentos.

Por isso, eu lhe pergunto: o que você tem feito com os momentos de provação e sofrimento que você passa diariamente? Qual o valor e o significado que você tem dado para os momentos de angústia que você sente? Qual é a sua cruz e o que você tem feito com ela?

Diante das nossas cruzes diárias, nós temos dois caminhos: o primeiro é ficar nos lamentando, reclamando e olhando unicamente para o nosso umbigo, para a nossa dor. O segundo é unirmos as nossas dores, as nossas “cruzes” à cruz de Cristo e ofertar tudo a Deus como um sacrifício de louvor, para a salvação das almas, unindo, assim, o nosso sacrifício ao sacrifício que Cristo realizou na cruz. Temos o caminho da lamúria, mas também tempos a opção de escolher o caminho da redenção. Qual você escolhe?

Fonte: TOZADORE, H.; CARVALHO, L. A Arte de Louvar. p. 35-36. 2016

Você acha que está faltando mais formação para os artistas católicos? Então CLIQUE AQUI e temos uma solução para te apresentar.