A alma humana e o encontro místico com Deus.

A alma humana e o encontro místico com Deus.

“Alma, buscar-te-ás em Mim,

E a Mim, buscar-me-ás em ti(...).

De tal sorte pôde o amor,

Alma, em mim te retratar,

Que nenhum sábio pintor

Soubera com tal primor

Tua imagem estampar”

(Santa Teresa D’Ávila)[1]

            A alma humana é, segundo Santa Teresa D’Ávila, como um castelo com muitos aposentos, que ela chama de moradas. No interior do núcleo da alma a pessoa humana faz a experiência mais íntima com Deus, este lugar é alcançado através de um caminho de espiritualidade. Edith Stein chama este núcleo de ‘alma da alma’, onde exatamente neste cerne da alma o ser finito do humano se encontra com o Ser Eterno que é Deus.

            Santa Teresa apresenta a alma humana como um castelo interior: “Consideremos nossa alma como um castelo, feito de um só diamante ou de limpidíssimo cristal. Neste castelo existem muitos aposentos, assim como no céu há muitas moradas”[2], e apresenta que para ter uma experiência íntima com o Amor de Deus, é preciso nos deixar ser alcançados e amados por Ele.

            Nós somos a morada de Deus, no interior de nossa alma podemos fazer a experiência do encontro mais íntimo com o Amado, e esta experiência se configura em uma experiência mística. A experiência mística se dá na comunhão mais profunda do ser humano com Deus, assim “nas profundezas misteriosas do encontro homem-Deus”[3] somos alcançados pela beleza fulgurante do Amor do Eterno. Deus é mais íntimo a nós do que nós mesmos[4], nossa alma é, segundo Mestre Eckhart: “íntima centelha unida a Deus já no princípio eterno do mundo; ela é o órgão da contemplação intuitiva, para que possa compreender Deus[5].         Nossa alma anseia este encontro com Deus, pois em nossa constituição humana está impresso o desejo de comunhão com o Criador. Deus nos criou para o encontro com Ele, pois “Deus cria as almas para si. Deus quer uni-las a Si e comunicar-lhes a incomensurável plenitude e a incompreensível felicidade de sua própria vida divina”[6] para a comunhão com seu amor.

            Fomos criados a imagem e semelhança de Deus, à medida em que buscamos o encontro com Ele experimentamos a plenitude da vida, pois Nele encontramos a origem e destino de nosso ser. No encontro de nossa alma com Deus somos alcançados pelo próprio Amor, nossa alma vive o êxtase do Amor de Deus que nela transborda e inebria.

“A Mim, buscar-me ás em ti.

Sim, porque és minha casa e morada;

Chama-me, que a qualquer hora,

A ti virei sem demora(...)

E a Mim buscar-me ás em ti.”

(Santa Teresa D’Ávila)

            No encontro de nossa alma com Deus somos tocados por sua Beleza e transpassados por Teu amor, assim somos alcançados pelo Mistério divino. Quando nos deixamos ser atingidos pelo amor de Deus de forma profunda, nossa alma se torna imbuída de sua flama e no núcleo de nossa alma, na “alma da alma” fazemos a experiência mística com Deus, que transborda e nos atinge por inteiros, em nossa unitotalidade (corpo, alma e espírito).

 

Por: Michele dos Santos Dias, vocacionada da Comunidade Recado.



[1] Santa Teresa D’Ávila- Buscando a Deus.

[2] Santa Teresa D’Ávila-  Castelo interior ou moradas.

[3] Dicionário de Mística- Edições Loyola.

[4] Santo Agostinho- Confissões.

[5] Dicionário de Mística- Edições Loyola.

[6] Edith Stein- Na força da cruz.