Vocação de todos os cristãos

 Vocação de todos os cristãos

Sereis santos porque Eu sou Santo’ (Lv 1,44-45). O desígnio de Deus é claro: uma vez que fomos criados à sua ‘imagem e semelhança’ (Gen 1,26), e Ele é Santo, nós temos que ser santos também. O Senhor não deixa por menos. A medida e a essência dessa santidade é o próprio Deus.

A santidade é a vocação universal dos batizados, conforme nos ensina o Concílio, ao falar da Igreja (cf. Lumen Gentium, cap. V). A santidade não é uma ilustração opcional à vida cristã, mas a sua própria meta; pela fé e pelo Batismo, estamos em comunhão com aquele que é o santo e a fonte de toda santidade. A santidade é uma das qualidades da Igreja e deve também ser a marca de todos os seus membros: “Esta é a vontade de Deus a vosso respeito: a vossa santificação” (1Ts 4,3). É a vocação de todos os batizados.O Santo Papa João Paulo  2º na Carta Apostólica dizia que : “Perguntar a um catecúmeno – queres o Batismo? – significa ao mesmo tempo perguntar-lhe – queres ser santo?” (n. 32). A santidade, portanto, é para todos os discípulos de Cristo.

Papa Francisco, na homilia da solenidade de Todos os Santos, voltou a lembrar que a santidade tem um caminho, um rosto e um nome: Jesus Cristo. Estar em comunhão com Ele, seguir seus passos, imitar seu exemplo – eis o jeito da santidade.Quando a imagem de Jesus estiver formada em nossa alma, então teremos chegado à meta que Deus nos propõe. É aquele estado de vida que levou, por exemplo, São Paulo a exclamar: ‘Eu vivo, mas já não sou mais eu, é Cristo que vive em mim. A minha vida presente, na carne, eu a vivo na fé no Filho de Deus’ (Gal 2,20).

Quando somos chamados a ser santos é natural que ocorra uma certa estranheza dentro de nós, pois estamos acostumados a certos modelos de santidade. Na cabeça de muitos, ser santo é um projeto longe de ser concretizado.

Santa Teresa d’Ávila afirma que: ‘O demônio faz tudo para nos parecer um orgulho o querer imitar os santos’. A santidade ainda não é um fim, mas o meio de voltarmos a ser ‘imagem e semelhança’ de Deus, conforme saímos de suas mãos.

Várias são as passagens bíblicas que nos deixam claro a nossa vocação para uma vida de santidade. A santificação, portanto, consiste em cada cristão se transformar numa cópia viva de Jesus, ‘um outro cristo’ como diziam os santos Padres. A Santidade é a transformação do coração humano em semelhança ao coração de Jesus, é viver o evangelho.

“Falta santidade quando falta evangelho em nossas vidas ”. Nossa vida deve ser a interpretação exemplar da vida cristã e um testemunho do Evangelho do Reino de Deus no mundo. E como os dons de Deus são inúmeros, há também numerosas formas de santidade e de vidas santas. Cada santo, a seu modo, é um exemplo de vida segundo o Evangelho e pode ser imitado pelos outros, sem medo de errar. Santidade é vocação de todos os cristãos, sem exceção.  

      

Por Paulinha Nogueira, membro da Comunidade Recado.

 

Referências

 

1.www.cancaonova.com

2.https://pt.aleteia.org/2013/11/05/a-santidade-e-para-todos/